Ação do uso indevido do nome do Sindicato

No dia 11 de março, o Sindicato dos Urbanitários do Pará participou de audiência na 8ª Vara do Trabalho de Belém, no TRT, da ação ajuizada pela entidade sindical contra o uso indevido do nome do Sindicato para convocar indevidamente uma assembleia da categoria.
A ação foi impetrada contra Janilson Johnny Lobo Braga, pessoa que assinou o edital ilegal publicado, no dia 5 de fevereiro, no jornal Diário do Pará, e contra a Celpa Equatorial. No dia 6/2, a entidade sindical conseguiu tutela antecipada determinando que os réus se abstenham de realizar assembleia deliberativa e firmar instrumentos coletivos em nome da categoria. Os réus, sem sucesso, tentaram derrubar a decisão no TRT - 8ª Região.
SENTENÇA - Na audiência do dia 11/3, diante das provas e evidências já arroladas no processo, a juíza dispensou os depoimentos das partes e das testemunhas, abriu prazo para as razões finais e marcou para o dia 31/3 o encerramento da instrução processual, quando deverá ser marcada a data da sentença. Fique atento!

Acordo coletivo foi assinado pelos Sindicatos e pela Celpa Equatorial.

No dia 12/3, a entidade sindical recebeu da direção da empresa a minuta da redação do acordo coletivo de trabalho. O material foi lido e repassado à nossa assessoria jurídica. Após avaliação e ajustes, o acordo foi assinado na quarta-feira, 18.
As diferenças relativas à retroatividade das cláusulas à data-base, 1 de novembro, foram pagas no dia 13 de março. Os valores das cláusulas que têm caráter econômico foram atualizados / reajustados, por isso estamos publicando esses valores para que você tenha essa informação e acompanhe o devido cumprimento de cada uma das cláusulas econômicas.
A LUTA CONTINUA!

Data-base 2019: trabalhadores da Cosanpa aprovam proposta

Em assembleias realizadas na quarta-feira, 11, categoria aprovou proposta consensada
Por ampla maioria de votos, em assembleias realizadas de forma simultânea, trabalhadores e trabalhadoras decidiram aprovar a proposta para selar a data-base 2019. As assembleias aconteceram na manhã do dia 11 de março, quarta-feira, nos portões da empresa, em Belém e nas regionais do interior do Estado.
A proposta aprovada encerra um longo processo de data-base que começou 10 meses atrás e implica em reajuste de 4,31% nos salários (em uma única parcela) e no auxílio-creche. Tanto os salários como o auxílio-creche serão reajustados a partir do pagamento de abril.
A diferença do percentual (0,73%), para chegar nos 5,07% será discutida na data-base 2020. As demais cláusulas econômicas do acordo foram mantidas do jeito que estão atualmente. A discussão sobre o reajustamento dessas cláusulas também será levada à data-base deste ano.
Retrospecto
Na primeira fase da discussão da data-base 2019, em junho do ano passado, ficou acertado e aprovado em assembleias que o acordo coletivo terá validade de dois anos. Por isso o ACT vigente vale até 2021, sendo que as cláusulas econômicas devem ser discutidas anualmente em forma de termo aditivo ao acordo completo, com todas as cláusulas.
Em junho, o percentual da inflação (5,07%) foi aplicado no valor dos tíquetes-alimentação retroativamente ao mês de maio. Salários e pisos salariais, naquela ocasião, receberam reajuste de 1,05%, referente a um resíduo da data-base anterior. A segunda fase da negociação da data-base 2019 se deu em dezembro do ano passado.
Paralisações
Retomamos a negociação este ano pressionando para que a empresa aplicasse o reajuste nos salários. Chegamos a consensar uma proposta de parcelamento do percentual. Na manhã da segunda-feira, 9 de março, Sindicato dos Urbanitários do Pará e diretoria da Cosanpa retomaram a negociação, momento em que conseguimos uma proposta de consenso. Essa proposta foi aprovada e selará a data-base 2019 com uma significativa vitória, pois não temos dúvida de que as paralisações de 24 e 48hs foram essenciais para que a empresa cumprisse a palavra de efetivar o reajustamento salarial.
Dias parados
Em relação aos dias parados, definimos com a empresa que dois dias serão abonados, ou seja, não serão descontados, e o terceiro dia será compensado. Sendo que a forma de compensação será definida somente após reunião entre o Sindicato e a direção da Cosanpa. Temos também a definição de que a direção da empresa irá despachar um documento aos gerentes e gestores determinando que não haja nenhum tipo de punição e perseguição aos trabalhadores e trabalhadoras que aderiram às paralisações.
Todos e todas estão de parabéns pela data-base vitoriosa, que manteve o acordo e conquistou reajuste nos salários. Este ano, vamos novamente em busca de avanços.
A luta continua!

Dia de Luta da Mulher Urbanitária

Dia de Luta da Mulher Urbanitária

A união e mobilização das mulheres na luta por direitos, igualdade, oportunidades e pela vida se fazem ainda mais necessárias em tempos de governos autoritários, racistas, misógino, sexistas e machistas.
Nesse sentidos, o Sindicato dos Urbanitários convida a TODAS e TODOS para um momento especial, o Dia de Luta da Mulher Urbanitária: contra o assédio moral e sexual no ambiente de trabalho, evento a ser realizado no dia 13 de março, sexta-feira, na sede do Sindicato, pela manhã, entre 9 e meio dia.
Neste dia, teremos a apresentação dos seguintes documentários: A lei da Mulher e Assédio sexual no trabalho. Participe, a sede do Sindicato fica na avenida Duque de Caxias, 1234, entre Lomas Valentinas e Eneas Pinheiro. Marco, em Belém.
Retrocesso - No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, uma mulher é agredida a cada quatro minutos. Os índices de feminicídio também vêm em uma crescente nos últimos anos. Infelizmente, nosso país é o oitavo no mundo que mais mata mulheres. Ainda assim, o governo federal trata esse desastre com descaso.
O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos foi um dos que recebeu menos recursos entre janeiro e dezembro de 2019, mostrando total descompromisso do governo Bolsonaro com o que deveria ser prioridade nas políticas públicas, o combate à violência contra a mulher.