Presidente da Cosanpa contrata excessivamente comissionados

A cada dia o presidente da Cosanpa contrata mais e mais comissionados. São pessoas que entram na Cosanpa com salários altíssimos, sobretudo se comparados à média salarial dos efetivos. Para qualquer empresa pública, contratos a peso de ouro não pega bem, ou seja, é um ataque à moralidade. Em se tratando da Cosanpa, uma empresa que precisa racionalizar seus gastos, é um absurdo o exagero no contrato de comissionados extremamente bem pagos.

Vale a ressalva de que existem hoje na Cosanpa 114 pessoas comissionadas, sendo que 84 foram contratados já pelo governo Helder Barbalho. Muitas vezes para alocar esses contratados, a direção da Cosanpa retira de cargos de gerentes e chefias os empregados efetivos.

A Cosanpa gasta atualmente cerca de R$ 650 mil mensais só com a folha de pagamento de comissionados, sem contar as demais vantagens de que eles gozam.

O Sindicato e os trabalhadores que conhecem a Cosanpa, sabem que se trata de uma empresa viável em todos os sentidos, mas a Cosanpa precisa rever a admissão de comissionados e contratos que acabam sangrando o já combalido caixa da empresa.