PLR 2020: Celpa propõe exclusões e alterações que prejudicam você

No dia 19 de agosto, aconteceu a primeira rodada de negociação da PLR 2020. Nessa ocasião, a comissão de negociação da Celpa Equatorial apresentou uma proposta de renovação do acordo relativo à PLR. No dia 28 de agosto, os sindicatos (Urbanitários e Engenheiros) voltaram a sentar com a empresa para a segunda reunião sobre a PLR 2020. Nesse segundo diálogo, as entidades sindicais entregaram uma contraproposta.

A proposta da empresa para a PLR 2020 traz exclusões e alterações, todas com a clara intensão de prejudicar os trabalhadores e as trabalhadoras da Celpa. Mais uma vez a empresa vem à mesa de negociação para tentar reduzir e limitar a PLR daqueles que trabalham para que ela alcance lucros milionários. As exclusões e alterações são um verdadeiro atentado contra o que a própria Celpa chama de Valor Transparência. 

Conforme a proposta da Celpa, ela quer se fechar numa caixa preta, para distribuir PLR milionária a seus gerentes, onde o céu é o limite. Cadê a TRANSPARÊNCIA?

 

Proposta da empresa

# Cláusula 2ª – Regras Gerais

A empresa propõe a EXCLUSÃO do item 2.5, o qual determina que tem de enviar ao Sindicato a relação dos trabalhadores inseridos no PGC, com a denominação por cargo de liderança ou elegível.

 

# Cláusula 3ª – Participação de Metas por Equipe

Em sua proposta, a Celpa Equatorial também quer a EXCLUSÃO do item 3.4.5. Esse item é fundamental no Programa da PLR, garante que o trabalhador vai ter conhecimento de suas metas, pois, após a negociação direta com o gerente, assina o um documento individualizado por equipe denominado “DEFINIÇÃO DE METAS POR EQUIPE”, e, após assinatura de todos os envolvidos, será parte integrante do Acordo Coletivo.

 

# Alteração do item 3.4.7.1.6 – Auxílio doença acidentário

Celpa propõe deixar de pagar integralmente a PLR para quem precisar se afastar das atividades por acidente de trabalho, passando a pagar proporcionalmente aos meses trabalhados, regra atualmente aplicada aos afastados por adoecimento não relacionados ao trabalho.

 

# Alteração do item 3.4.7.1.7. – Fator Absenteísmo 

Neste item, a empresa quer considerar no fator absenteísmo os atrasos e faltas de meio expedientes, o que não é considerado atualmente, já as horas extras, ela não quer levar em conta.

 

# Exclusão dos itens 5.4. e 5.5.

Nesse item, a Celpa quer tirar o teto no valor médio que é 6 salários nominais na PLR dos gerentes. Confira a redação atual dos referidos itens: 

“5.4. No pagamento do PGC, a Celpa não poderá ultrapassar o valor máximo total de 6 Salários Nominais, na média total, considerando todos os trabalhadores inseridos no programa”

“5.5. A empresa encaminhará, no prazo de trinta dias após o pagamento do programa, relatório detalhando as médias por categoria de trabalhadores envolvidos no programa (PGC), de forma a comprovar o cumprimento do previsto no item 5.4”.

Pelo visto, nessa caixa preta, o céu é o limite para a PLR dos gerentes. O valor “transparência” foi jogado no lixo.

 

Contraproposta dos sindicatos

Os sindicatos disseram NÃO à proposta da Celpa Equatorial por representar menos PLR aos trabalhadores. As entidades sindicais, no dia 28 de agosto (quarta-feira) entregaram uma contraproposta à empresa. Veja mais detalhes: 

 

Alteração do item 2.3  - Metas condicionantes

Meta Ebitda >= 80% / Nota por Equipe >= 8,0

Alteração do item 3.4.7.1.2.

Fator Absenteísmo à razão 1/365 (um trezentos e sessenta e cinco avos).

 

Alteração do item 3.4.7.1.5.

Dar para o auxílio doença previdenciário a mesma redação do auxílio doença acidentário e Licença Maternidade.

 

Restabelecer o Valor Mínimo de Referência

Nenhum trabalhador que alcançar nota final igual ou superior a 10 (dez), conforme item 3.5, poderá receber PPME inferior ao valor de R$ 7.000,00 (sete mil reais).

 

Alteração do item 8.2.

“Para fazer jus ao pagamento proporcional, quando de sua admissão, o trabalhador deverá ter permanecido no quadro funcional da empresa por um período superior aos 30 (trinta) dias de seu contrato de experiência”. Atualmente, este prazo é de 90 dias. 

 

Valor da PLR 2020:

PPME: 3 SB + Periculosidade

Bonificação Adicional: 2 SB + Periculosidade 

 

Criação do terceiro indicador para apuração da Bonificação Adicional 

Restabelecimento das Perdas Globais, como indicador, onde o pagamento da bonificação será condicionado ao atingimento de pelo menos duas notas 8 dentre os três indicadores: Índice de Arrecadação (IAR), Custeio e Perdas Globais. 

Para efeito de cálculo da bonificação será levado em conta os dois indicadores com maior nota.