Paralisações vitoriosas marcam o início de uma luta

Sem resposta da direção da Cosanpa, vamos seguir nas ações de pressão na empresa

Nos dias 3 e 4 de março, o Sindicato dos Urbanitários do Pará realizará assembleias deliberativas em Belém e regionais.
O objetivo é bem claro, vamos deliberar ações mais enérgicas para pressionar a direção da empresa a honrar sua palavra e cumprir o que foi acordado em mesa.
Na reunião de negociação realizada no dia 13/12/2019, Sindicato e direção da Cosanpa chegaram a uma proposta conjunta para a reposição salarial da data-base 2019. A proposta é de 5,07% nas cláusulas econômicas, parcelado de três vezes: 1,5% em fevereiro/2020, 1,5% em março/2020 e 1,99% em abril/2020. O passivo desde maio de 2019 seria pago em parcelas a partir de maio até dezembro/2020
Ou seja, falta boa vontade da direção da empresa para implementar esse acordo. Por isso, o tempo já é de deliberar greve, uma vez que a primeira parcela do que foi consensado em dezembro de 2019 já deveria ter sido incluído na folha de pagamento de fevereiro, salário que vai sair neste dia 21.
GREVE POR TEMPO INDETERMINADO
Todas as chances já foram dadas à direção da Cosanpa, o prazo acabou, duas paralisações já foram realizadas, agora resta parar a empresa por tempo indeterminado, agora é greve. E para deliberar essa importante e necessário movimento grevista, estamos chamando essas assembleias, participe, sua opinião é fundamental para unirmos força e seguirmos mobilizados em busca do que é justo e direito à nossa categoria.
As paralisações foram vitoriosas, com grande participação dos trabalhadores e trabalhadoras. Todos e todas estão de parabéns. Agora temos que seguir pressionando a empresa, pois não vamos aceitar que a data-base 2019 se junte à de 2020. Isso seria muito prejudicial aos trabalhadores.
CHEGA DE USO POLÍTICO
Sabemos que a empresa tem condições de honrar o acordo e zerar as perdas salariais de seus empregados e empregadas. Bem como é notória a necessidade da empresa dar um basta nas contratações de comissionados, indicações políticas que vêm sangrando ainda mais as contas da Cosanpa.
Agora tem mais a novidade de contratação de pessoal por ordem de serviço, tudo para driblar a obrigatoriedade de realizar concurso público. Chega de uso político da empresa, chegou a hora da Cosanpa priorizar seus empregados e melhorar os serviços prestados ao povo do Pará. Vamos à luta!


Imprimir