Sindicatos e Celpa equatorial voltam à negociação

Acessos: 107

Ficou definido que os sindicatos realizarão assembleias na manhã desta sexta-feira, 21, e a empresa restabelecerá antes do início da assembleia os direitos, independente do resultado das assembleias

Na manhã da quarta-feira, 19, os Sindicatos (Urbanitários e Engenheiros) e a direção da Celpa Equatorial retomaram a negociação da data-base 2019. Ficou definido que a direção da empresa restabelecerá os direitos retirados na manhã desta sexta-feira, recolocando os créditos referentes ao vale-alimentação e vale-natalício nos cartões dos trabalhadores logo cedo, antes da realização das assembleias. Os demais direitos (auxílio-creche e matrícula, adicional para dirigir veículos, etc) serão repostos na sexta-feira que vem, dia 28.
Também ficou definida a prorrogação do acordo coletivo até 29/2.
Os Sindicatos, que nunca se recusaram a realizar assembleia, irão fazê-las na manhã desta sexta-feira, 21, nos portões da empresa, em Belém e regionais. Desta vez, vamos submeter aos trabalhadores e trabalhadoras duas possibilidades, greve por tempo indeterminado ou a aceitação da ínfima proposta patronal. É importante deixar claro que o retorno dos direitos foi condição para que as entidades sindicais realizem as assembleias.
O restabelecimento dos direitos será feito independente do resultado das assembleias, pois são direitos conquistados e não podem ser retirados deliberadamente pela vontade unilateral da Celpa Equatorial.
RESISTÊNCIA E LUTA
A resistência dos trabalhadores, liderados pelo Sindicato dos Urbanitários, representante de fato dos empregados e empregadas da Celpa Equatorial, fez a direção da empresa voltar à mesa para retomar a discussão da data-base 2019 e devolver os direitos da categoria.
Temos que ter consciência de classe, nos unir e nos manter mobilizados, prontos a reagir para defender nossos direitos. Agora está mais do que provado que a empresa não dá nada, ao contrário, tem interesse em tirar direitos e benefícios.
GREVE É O CAMINHO
Temos que mostrar que somos de luta, foi assim que nos fizemos respeitar pelo grupo Rede. Realizamos mobilizações, paralisações e greves e por isso conseguimos obter várias cláusulas novas, importantes ganhos que hoje fazem parte do acordo, como gratificação de férias, vale-aniversário, PLR, adicional de quilometragem, etc. E o principal, conseguimos assinar um acordo pondo fim às demissões. Bastou cruzarmos os braços para nos fazer respeitar. Vamos à luta!

Imprimir