Data-base: Celpa Equatorial diz não às reivindicações dos trabalhadores

Na quinta-feira, 26/11, tivemos a terceira rodada de negociação da data-base. Desta vez a maldade foi explícita, a direção da Celpa Equatorial propôs aumentar a jornada de trabalho para 8h, destinar mais horas-extras para compensação e menos para pagamento em dinheiro e acabar com a homologação de rescisão de contrato no Sindicato.
Além disso, a direção da empresa propõe diminuir a liberação de dirigentes sindicais e reduzir delegados sindicais de 9 para 3, com o objetivo claro de dificultar a organização dos trabalhadores e enfraquecer a categoria. Os dirigentes sindicais rejeitaram a proposta da empresa, pois não vamos negociar a retirada de direitos e nem retrocessos no nosso Acordo Coletivo.
ECONÔMICAS
A proposta da empresa é apenas o INPC de 4,77% nos salários e cláusulas econômicas. Mas a proposta dos trabalhadores é INPC mais 5% de ganho real. A direção da Celpa Equatorial negou todas as cláusulas novas, tentando impedir qualquer mudança para melhor no acordo coletivo. Teremos outra reunião na quinta-feira, 3, a partir das 15h.
O Grupo Equatorial, apesar da pandemia, está muito bem financeiramente. No balanço trimestral, a empresa divulgou que dispõe de R$ 7 bilhões em caixa. O Ebitda, foi “R$ 1.174 milhões no trimestre. Então não cabe discutir retrocessos e sim avanços no acordo coletivo. Vamos à luta!


Imprimir