Assalto no posto da Pratinha atinge recém contratados

No dia 20 de janeiro a Cosanpa foi vítima de mais um assalto, desta vez vitimando os trabalhadores recém contratados (concursados) que são lotados no Posto da Pratinha.
O problema está na deliberada omissão da direção da empresa, que tenta economizar onde não existe possibilidade disso.
O Sindicato vai tomar providências contra o descumprimento da Cláusula 52, do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que trata da Segurança Pessoal e Patrimonial.
Ao longo dos últimos três anos, foram muitas ocorrências de assaltos nos locais de trabalho, atingindo em cheio os trabalhadores em pleno exercício de suas atividades na Cosanpa.
Além dos saques e depredações ao patrimônio da empresa, muitas estações de tratamento de esgoto estão paradas por terem sido arrombadas e assaltadas. A empresa parece não se importar com o prejuízo que atinge ela mesma, empregados e os consumidores.
É PREJUÍZO que, certamente, é muito superior ao que se vinha INVESTINDO em segurança destes postos.
A Cosanpa precisa entender que o maior patrimônio a ser protegido são seus trabalhadores, que merecem acima de tudo, RESPEITO.